AGI Brasil
  • WEG - Motores para oito plataformas

    A WEG equipará oito plataformas do tipo FPSO nos campos de Guará e Tupi, na Bacia de Santos/SP, com os motores da Linha Master, modelo MGW 800. O primeiro lote com oito motores foi entregue em outubro e os demais serão fornecidos a cada cinco meses até 2015.

  • Visitação

    A Kuehne + Nagel criou uma atividade mensal para mostrar a seus clientes o dinamismo e a complexidade da operação de portos, aeroportos e armazéns. A ‘Tour Experience’ consiste em visitas guiadas de clientes ao porto de Santos, aeroporto Viracopos ou algum armazém da empresa.

  • Tecnologia - Poli/USP desenvolve simulador de manobras

    Manobras de atracação arriscadas ou realizadas depois de obras em portos brasileiros já podem ser previstas com exatidão antes de acontecerem na realidade. Isso é possível graças ao Simulador Marítimo Hidroviário (SMH), um sistema 100% nacional, que reproduz no computador condições do mar e outras variáveis de alguns dos principais portos brasileiros, além da situação de embarcações — vazia ou carregada, por exemplo. O equipamento foi desenvolvido por uma equipe coordenada pelo professor Eduardo Aoun Tannuri, do Tanque de Provas Numérico (TPN), laboratório da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

  • Stofire

    A Renner Protective Coatings lança um sistema de pintura intumescente, o Stofire. A proteção já é muito utilizada em países da Europa e Estados Unidos e reduz consideravelmente as perdas em acidentes que envolvam construções em chamas.

  • Recorde - Portos do Paraná movimentam 44 milhões de ton

    Os portos de Paranaguá e Antonina fecharam 2012 com 44 milhões de toneladas movimentadas. Este é o maior volume de cargas registrado na história dos portos e corresponde a um aumento de 8% em relação à movimentação de 2011. Diversos fatores contribuíram para atingir esta marca. A safra recorde de grãos, a alta na movimentação de milho e açúcar e a valorização do dólar explicam o desempenho.

  • Quarto do Promef em operação

    Pela 1ª vez navio mercante terá duas mulheres no comando

    A Transpetro recebeu no último dia 17 de janeiro do estaleiro Mauá o navio de produtos Rômulo Almeida. Esta é a quarta embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef) a iniciar as operações. Além da embarcação, já foram entregues os navios de produtos Celso Furtado e Sérgio Buarque de Holanda, pelo Estaleiro Mauá, no Rio de Janeiro, e o petroleiro suezmax João Cândido, pelo Estaleiro Atlântico Sul (EAS), instalado em Pernambuco.

  • Portonave - Movimentação 13,7% maior em 2012

    A Portonave movimentou 620.026 TEUs em 2012. O resultado supera em 13,7% os 545.158 TEUs movimentados em 2011. A empresa atribui os números à atracação de navios maiores e com mais capacidade de carga, à conquista de novas linhas e à eficiência das operações. Nos cinco anos de operação, o terminal catarinense ultrapassou a marca de 2,4 milhões de TEUs.

  • Plataformas - EBR vence licitação para duas unidades

    A Estaleiros do Brasil (EBR) venceu a licitação para construção de duas novas FPSOs da Petrobras. O valor da encomenda poderá atingir os R$ 3 bilhões e garantirá o início das operações da unidade que a empresa está montando em São José do Norte (RS). As plataformas P-74 e P-76 devem começar a ser construídas em outubro, a partir de módulos acoplados a cascos que virão do Rio do Janeiro. A previsão da companhia é gerar quatro mil empregos diretos.

  • Oceana - Estaleiro tem lançada pedra fundamental

    A Oceana Offshore, do fundo P2 Brasil, lançou em janeiro a pedra fundamental do Oceana Estaleiro, que será instalado no bairro Cordeiros, em Itajaí (SC). Com R$ 220 milhões em financiamento aprovados pelo Fundo da Marinha Mercante (FMM), o estaleiro terá capacidade de produção de até seis embarcações de apoio à produção de petróleo e gás em alto-mar (tipo PSV) por ano. O empreendimento atenderá às demandas da Oceana e de empresas de navegação parceiras.

  • Nova certificadora global

    DNV e Germanischer Lloyd se fundem e criam a DNV GL Group. Nova entidade terá volume de negócios de 2,5 bilhões de euros

    A DNV e a Germanischer Lloyd SE firmaram acordo de fusão das duas certificadoras. A nova entidade será chamada DNV GL Group. Será uma das principais sociedades classificadoras de navios do mundo, atuando na classificação de risco nas áreas de petróleo e energia, gás e energia renovável.
  • Navalshore

    A Navalshore – Marintec South America, está com 80% de seu espaço para exposição comercializado. Em sua décima edição, a feira e conferência da indústria naval e offshore será realizada de 13 a 15 de agosto no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro.

  • Mestrado

    A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), do Ministério da Educação, aprovou o primeiro curso de mestrado profissional do Instituto Tecnológico Vale (ITV), uma instituição de pesquisa da Vale.

  • Memória entra em pauta

     

     

    SEP convoca companhias docas e traça diretrizes para manter vivas as memórias portuárias

    Um setor que não para de crescer, mas que tem a memória fraca. Anos de história dos portos brasileiros se perdem pela falta de acervos organizados. Para fugir da máxima de que o brasileiro não cuida de sua história, representantes dos portos públicos buscam um formato para preservar a memória portuária nacional. Para conseguir realizar esse resgate, o projeto esbarra na dificuldade de apoio financeiro e na falta da cultura de conservar o passado.
  • Lama elétrica

    SUPRG e Furg assinam convênio para projeto inédito que extrairá eletricidade de sedimentos de dragagem

    A Superintendência do Porto do Rio Grande (SUPRG) e a Universidade Federal do Rio Grande (Furg) firmaram convênio para o projeto Valoração dos Sedimentos de Dragagem do Porto do Rio Grande. Trata-se de uma tecnologia para a bioconversão dos sedimentos de dragagem, a qual permitirá o aproveitamento da areia e a produção de energia elétrica. Este projeto é inédito no mundo. O investimento da SUPRG é de aproximadamente R$ 600 mil.

  • Inovação - SKF investe em tecnologia no país

    A SKF do Brasil instalará um centro de inovação tecnológica no Rio de Janeiro. A unidade, dedicada a produtos e serviços para o segmento de Óleo & Gás, pode ter como destino o parque tecnológico da Ilha do Fundão. Os valores de investimentos e local definitivo da instalação deverão ser anunciados até o fim do primeiro trimestre de 2013. A novidade faz parte da estratégia da companhia para ampliar seus negócios no Brasil.

  • Hotelaria

    Recentemente, a LC venceu a concorrência para o projeto de hotelaria marítima para a Petrobras, cujo contrato foi de R$ 6 milhões. Os cerca de 200 colaboradores da plataforma marítima de extração de petróleo no campo de Pargo, na Bacia de Campos, terão seus serviços de hospedagem  atendidos pela LC Hotelaria Marítima.

  • Henkel

    Com o objetivo de oferecer maior eficiência e produtividade nos processos de soldagem, a Henkel criou tecnologias inovadoras para proteção da tocha de soldagem e para proteção de componentes soldados. Essas novidades visam acabar com a adesão das partículas de metal produzidas durante o processo de soldagem na tocha e nas peças, que causam perda de produtividade e comprometem a qualidade da solda.

  • Expansão - Itapoá ampliará instalações e cais

    O porto de Itapoá iniciará em 2013 a ampliação de seu cais e pátio. Com a expansão do cais, de 630 para mil metros, e do pátio, de 150 mil para 450 mil metros quadrados, o porto poderá movimentar até dois milhões de TEUs por ano, ante os 500 mil TEUs de capacidade atual. O porto espera um acréscimo significativo da demanda já para o início desse ano.

  • Ecobrasil

    O Ecobrasil 2013 - Seminário Nacional sobre Indústria Marítima e Meio Ambiente, em sua nona edição, será realizado de 16 a 18 de abril, no Hotel Mirador, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

  • Delegação - Empresas britânicas visitam o Rio

    Uma delegação britânica de 15 empresas do setor naval e offshore chefiada pelo enviado especial do primeiro-ministro para Comércio Britânico, Kenneth Clarke, visitou o Rio de Janeiro no final de janeiro. O encontro teve o objetivo de discutir as oportunidades de negócio no setor e apresentar os incentivos oferecidos pelo estado às companhias com interesse em se instalar no Rio.

  • Crescimento - Aveva estima ampliação no mercado

    A Aveva, empresa que atua no fornecimento de soluções para detalhamento e gerenciamento de projetos de engenharia e informações, ampliará este ano sua presença no Brasil. A previsão tem como base a aprovação de suas soluções pela Petrobras, levando as empresas epecistas a executarem projetos na área naval e offshore utilizando Aveva PDMS, Aveva Marine e produtos esquemáticos da Aveva, incluindo Instrumentação, Elétrico e P&IDs.

  • Cenário volátil

     

     

    Fornecedores de motores para embarcações de serviços veem cenário com moderado otimismo — mas apostam em crescimento

    As empresas que atuam no mercado nacional de motores para embarcações de serviços, como rebocadores e empurradores offshore, avaliaram 2012 como um bom ano para as vendas do setor, mesmo com a queda na produção de petróleo da Petrobras registrada até novembro do ano passado ante igual período de 2011 e as dificuldades enfrentadas pelo governo federal na construção de hidrovias nos rios brasileiros. Para 2013, algumas companhias apostam que o setor manterá o bom cenário, mas alguns empresários e especialistas preveem quadros distintos.
  • Aveva

    A Aveva disponibiliza no mercado global seu novo software voltado para projeto de plantas industriais. Denominada Aveva Everything3D (Aveva E3D), a tecnologia visa promover um novo nível de desempenho para grandes projetos de engenharia.

  • Aquisição - SKF adquire Blohm + Voss Industries

    O grupo SKF anunciou acordo de intenção para a compra do grupo alemão Blohm + Voss Industries (BVI), da Star Capital Partners. A SKF pagará 80 milhões de euros por 100% do controle acionário da fornecedora de componentes navais. A transação está sujeita à aprovação das autoridades competentes. De acordo com a SKF, a aquisição está em linha com a estratégia da companhia em melhorar sua posição como parceira estratégica de desenvolvimento de aplicações.  

  • Antonina - Dragagem na Galheta tem início

    Está em Antonina a draga que realizará o segundo lote da dragagem dos pontos críticos do Canal da Galheta. O equipamento, de origem chinesa, possui capacidade de cisterna para cinco mil metros cúbicos e irá dragar o trecho que compreende o canal de acesso até o porto. De acordo com a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), serão retirados cerca de um milhão de metros cúbicos de sedimentos.

  • Ano de mudanças e desafios

    Com novas regras para licitações e para a execução de serviços, empresas de dragagem temem até pelo fim de indústria nacional

    O setor de dragagem iniciou 2013 diante de duas novidades, que significam adaptações a serem cumpridas e impõem desafios: o Plano Nacional de Dragagem II (PND II), que alterou as regras das licitações; e a Resolução 454/2012, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), que reformulou todos os processos para a execução dos serviços de dragagem.

  • Accelerate Oil & Gas

    Os interessados em expor ou patrocinar o Accelerate Oil & Gas devem correr para garantir um espaço. O evento de óleo e gás, que será realizado nos dias 21 e 22 de maio, no Rio de Janeiro, já atingiu 70% da venda total dos estandes.

  • ‘Joint venture’ - Companhia irá operar barcos de apoio

    O banco BTG Pactual e a Deep Sea Supply criaram uma joint venture para controlar e operar navios de apoio offshore no Brasil. Além de PSV, a companhia irá operar embarcações AHTS, especializadas em manuseio de âncoras, reboque e suprimento a unidades offshore.

    Cada parceiro terá 50% de participação na associação, que vai operar, a princípio, 15 embarcações. A joint venture permite também que sejam adquiridos mais seis PSVs de grande porte para a Deep Sea Supply (que já possui uma frota de 24 navios).

  • 'Copacabana' - Aliança entrega PSV à CBO

    O estaleiro Aliança batizou e entregou à Companhia Brasileira de Offshore (CBO) o navio CBO Copacabana. O evento foi realizado em dezembro no estaleiro, em Niterói (RJ). O navio de apoio marítimo, do tipo PSV 4.500, vai operar para a Petrobras e será o 19º navio da frota da empresa.